Vendi um imóvel e o comprador não transferiu para o seu nome. E agora?

Você vendeu ou comprou um imóvel, seja um apartamento, uma casa, ou um terreno, e não o registrou?
Vamos neste artigo explicar sobre os riscos desta prática e como corrigir.

Artigo
 

Continua após a publicidade

Vendi um imóvel e o comprador não transferiu para o seu nome.
E agora? Artigo escrito por: Gustavo Falcão
Criado em: 01 de março de 2019   
Atualizado em: 02 de março de 2019
Comentar artigo Adicionar comentário


Artigo comprador não registrou

N ão são raras as vezes em que um comprador efetua o pagamento para a compra de um imóvel, assina o contrato de compra e venda de imóvel e depois, independente do motivo, não o transfere para o seu nome, podendo com isso gerar diversos problemas, não somente para ele mas também para a pessoa que o vendeu.

Vamos neste artigo debater sobre este assunto, e ajudar você a entender quais as medidas podem ser tomadas e as consequências caso isto ocorra.

Pagou e não transferiu

A negociação de um imóvel exige diversas etapas, desde a visita ao imóvel até a sua efetivação.

Uma destas etapas é o pagamento do valor acordado entre as partes envolvidas no contrato de compra e venda de imóvel, também conhecido como promessa de compra e venda.

Após o pagamento deverá a parte compradora comparecer a um Cartório de Registro de Imóveis e solicitar o registro na matrícula do imóvel, transferindo assim a propriedade para o seu nome.

Esta etapa está prevista em nosso Código Civil em seu artigo 1.245:

"Art. 1.245. Transfere-se entre vivos a propriedade mediante o registro do título translativo no Registro de Imóveis.
§ 1o Enquanto não se registrar o título translativo, o alienante continua a ser havido como dono do imóvel."

Por não entender as consequências práticas e legais de não se transferir um imóvel, ou porque os custos são por muitas vezes elevados, muitos compradores deixam de registrar o imóvel em seu nome, e assim o vendedor, mesmo recebendo o valor acordado ainda continua como real proprietário.

Riscos

Ao não se efetuar a atualização da matrícula do imóvel surgem diversos riscos tanto para o comprador quando para o vendedor.

O comprador por não ter a propriedade do imóvel registrada fica exposto à perda de seu imóvel, pois poderá o vendedor negociar o imóvel para terceiros, visto que ele é ainda o real proprietário perante o Cartório de Registro de Imóveis.

Se ocorrer isso o comprador deverá solicitar judicialmente o ressarcimento dos valores pagos, como também possíveis danos morais.

Já para o vendedor, além da responsabilidade quanto ao pagamento de impostos e tributos que recaem sobre o imóvel, este também se responsabilizará caso o imóvel causa algum dano à terceiros por falta de manutenção, como, por exemplo, a queda de um muro ou fachada.

Publicidade

O que fazer quando o comprador não transferir o imóvel para seu nome?

Passado o período para a transferência do imóvel, que costuma ser em média de 30 (trinta) dias, o vendedor poderá tomar algumas medidas para assegurar a transferência, e entre elas estão:

Medidas Extrajudiciais
- Transferir os tributos e impostos que recaem sobre o imóvel para o nome do comprador.
- Enviar uma notificação extrajudicial ao comprador, solicitando assim para que ele providencie o devido registro.
- Por fim solicitar o registro da escritura, informando ao Cartório de Registro de Imóveis que a propriedade seja transferida para o comprador.
Obs: As despesas quanto à escritura e registro são de responsabilidade do comprador, exceto se em contrato estiver definido o contrário, mas, poderá sim o vendedor efetuar esta solicitação e posteriormente cobrar judicialmente o valor que tenha gasto com o devido registro.

Recomendamos que toda negociação envolvendo um imóvel seja feita inicialmente por meio de um contrato de compra e venda de imóvel, e que nele se tenha uma cláusula informando o prazo que o comprador terá para transferir o imóvel para sua propriedade, e assim estipular também a multa que deverá ser paga ao vendedor caso não seja cumprida a transferência em prazo hábil.

Medida Judicial
Ocorrendo a negativa de uma das partes de se outorgar a escritura, poderá a parte prejudicada procurar a justiça, solicitando para que legalmente se cumpra a transferência e atualização da matrícula do imóvel.

Conclusão

Se for negociar um imóvel sempre faça um contrato claro e objetivo, evitando assim conflitos que poderiam resultar em brigas judiciais, prevenindo as partes de prejuízos e da perda de tempo.

Se estiver buscando um contrato de compra e venda de imóvel, ou sua promessa, que possa ser feito de maneira personalizada, utilize o nosso clicando no link abaixo:
Contrato de Compra e Venda de Imóvel
ou
Contrato de Compra e Venda de Terreno


Precisa de ajuda?

Nossos Contratos Se você tiver qualquer dúvida ou queira comentar sobre este artigo vá na sessão de comentários logo abaixo.
Responderemos bem rápido para você!


Referência:
Lei 10.406


Curtiu nosso artigo?

Deixe a sua curtida, assim o nosso time saberá que o artigo foi útil e também nos motivará a criar novos artigos para ajudar você.


Publicidade








Tem alguma dúvida, sugestão ou comentário?
Utilize o espaço abaixo e o nosso time lhe responderá bem rápido!





Continua após a publicidade



Sobre nós!

A LanceSeguro é uma plataforma 100% nacionao, criada e desenvolvida visando a segurança na busca de um leilão.

Nosso time é formado por apaixonados no assunto, que sempre buscam novidades que possam ajudar o dia a dia de todos.

Atualmente somos a maior plataforma de busca de leilões oficiais do Brasil.

footer email

Qualquer dúvida entre em contato conosco pelo e-mail contato@lanceseguro.com.br, ou pela opção de contato localizado no menu em nosso site.
O atendimento é realizado de segunda a domingo, das 8h à meia-noite.

© 2019 - Todos direitos reservados - LanceSeguro - O seu buscador de leilões oficiais!